Vivendo em comunhão

No artigo Sendo Apascentados, estudamos que um dos objetivos dos Grupo de Vidas é o pastoreio. Hoje, nos debruçaremos sobre um outro, muito importante: a comunhão. Podemos começar com o seguinte texto de Atos dos apóstolos:


"Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações." (Atos 2:42)

Note um detalhe importante: os primeiros cristãos se dedicavam à comunhão. Temos, então, uma primeira lição a ser aprendida: comunhão exige dedicação. Mas o que vem a ser exatamente a comunhão? Uma rápida definição poderia ser: associação de cristãos. Assim, cristãos que se dedicam à comunhão são os que se esforçam para viverem associados com os demais. Talvez a melhor explicação do que seja viver em comunhão esteja na seqüência do texto que lemos, no segundo capítulo de Atos. Os versículos 42 a 46 nos ensinam que:

Os primeiros cristãos procuravam estar sempre juntos, seja para buscar a Deus, seja para se confraternizarem. Por se esforçarem para viverem associados uns aos outros, compartilhavam de um mesmo conjunto de crenças, sentimentos, impressões e comportamentos. Cada um estava fortemente ligado a Deus e também aos irmãos.

Mas afinal, por que isso é tão importante? O que acontece com a Igreja, quando os cristãos não se dedicam à comunhão?

A comunhão e o Corpo de Cristo

Uma figura muito utilizada pelo apóstolo Paulo para representar a Igreja é o corpo do qual Cristo é a cabeça:


"Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou cabeça de todas as coisas para a igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância." (Efésios 1:22-23)

Se a Igreja é o corpo de Cristo, então é na Igreja que estão Seus braços, mãos, pés, ou seja, os membros desse Corpo. Nós somos esses membros. É por meio da Igreja que Cristo se move e se revela ao mundo. Agora, pense no seu próprio corpo e em tudo o que acontece nele para que você consiga dar um simples passo. Seu cérebro dá uma ordem, que parte como um impulso elétrico percorrendo inúmeros nervos, desde a cabeça até as pernas. Esse impulso chega a vários músculos da perna. Cada qual se contrai e se relaxa numa ordem correta, para que se consiga produzir o movimento, sem perda de equilíbrio. Enquanto isso, incontáveis órgãos não param de funcionar: pulmão, coração, rins etc.

O que aconteceria se o pulmão parasse de funcionar? Sem oxigênio no sangue, logo seus músculos também parariam e você não conseguiria andar mais. O mesmo aconteceria se as mensagens do cérebro parassem de chegar aos músculos, ou se eles resolvessem funcionar numa ordem diferente.

Felizmente, os órgãos de nosso corpo físico funcionarão perfeitamente, a menos que sejam lesionados. Mas o funcionamento do corpo de Cristo é bem mais complicado, pois cada membro têm vontade própria. Se um membro deixa de submeter sua vontade às ordens que vêm da Cabeça, acaba atrapalhando o correto funcionamento do corpo. Se um membro luta contra outro, mais uma vez o corpo de Cristo é afetado. E ainda há pessoas que não fazem parte do corpo de Cristo, mas agem como se fizessem, confundindo os membros autênticos:


"Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade e na adoração de anjos os impeça de alcançar o prêmio. Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa. Trata-se de alguém que não está unido à Cabeça, a partir da qual todo o corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento dado por Deus." (Colossenses 2:18-19)

Como identificar um falso membro do corpo? Convivendo com ele e avaliando os seus frutos (Mateus 7:16-23). Como evitar os conflitos com outros membros do corpo? Esforçando-se para viver em comunhão com eles. Sem comunhão, o corpo de Cristo fica paralisado.

Dedicando-se à comunhão

Sejamos sinceros: a prática da comunhão nem sempre é prazerosa. Há irmãos dos quais desejamos sempre estar perto. Mas há outros dos quais preferimos a distância. Alguns são alegres e fáceis de lidar; outros são rabujentos e arrogantes. Alguns só têm bênçãos para contar; outros, só contam problemas e pedem oração. Mas não temos escolha: precisamos ter comunhão com todos. Isso exige esforço. Para termos comunhão, teremos que reduzir um pouco nosso tempo de lazer e abrir mão de nossa privacidade. É preciso manter o foco no progresso do corpo de Cristo, e não no nosso próprio progresso.

Muitas vezes nos alegramos por executar bem nossa missão no corpo de Cristo e criticamos outros membros que fracassam em cumprir sua missão. O que não percebemos é que o seu fracasso representa a derrota de todo o corpo. Se um olho pára de funcionar, todo o corpo fica cego! Talvez as pernas continuem saudáveis mas, ainda assim, não será possível correr sem a visão. Por maior que seja nosso progresso espiritual, ele será esvaziado pelo fracasso de um irmão. Então, precisamos socorrer os membros doentes (Gálatas 6:2; I Tessalonicenses 5:14).

A Bíblia nos ensina muitas coisas acerca da vida em comunhão. Eis algumas delas:

  1. Se o Espírito Santo lhe falar que você pecou contra seu irmão, peça perdão.

  2. "Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta." (Mateus 5:23-24)

  3. Se você se sente ofendido por algo que um irmão lhe fez, mostre-lhe o erro.

  4. "Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou o seu irmão. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que 'qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas'. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano." (Mateus 18:17)

  5. Não lute contra os membros do corpo de Cristo. Seu inimigo é Satanás.

  6. "pois nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contras as forças espirituais do mal nas regiões celestiais." (Efésios 6:12)

Para refletir...

Pense um pouco e responda às seguintes perguntas: