tristeza

Perseverando em meio às aflições

Leitura: II Coríntios 4:16-18

Quando Jesus veio realizar seu ministério atraiu discípulos para si. Alguns deixaram o mar com seus peixes, outros deixaram a família e todos eles deixaram a sua própria vida para segui-lo, atendendo ao seu irresistível convite.

E à medida que os discípulos andavam com Jesus ouviam dele as mais ricas promessas. Jesus prometeu aos seus discípulos morada nos céus, ressurreição e vida eterna, prometeu enviar o Consolador, disse que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos e aos que têm o compromisso de buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, a estes prometeu dar todas as demais coisas.

Mas Jesus sabia que a caminhada seria longa e dura e por isso mesmo nos deixou um arsenal de promessas para sustentar a nossa esperança e reanimar nossa fé. Previamente ele nos advertiu: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo eu venci o mundo” (Jo 16:33).

Deus permite as aflições para nos levar à maturidade, para nos aperfeiçoar. Certamente, como um pai amoroso ele gostaria de nos poupar dos sofrimentos, mas seu amor contém a sua mão para nos dar livramento no momento certo e não antes, nem depois.

Cada aflição, provação, tentação, tribulação... tudo faz parte do plano estratégico de Deus para nos moldar, para que “cheguemos a estatura de varão perfeito, ao pleno conhecimento do Filho de Deus e não sejamos mais como meninos inconstantes, levados ao redor por todo vento” (Ef 4:13).

É forte isso, mas não só fazem parte do plano de Jesus as nossas aflições, como também ele nos conduz a elas. É assim que funciona.

Em Mateus 14 vemos Jesus conduzindo os discípulos a embarcarem e atravessarem para a outra margem das águas. Durante a madrugada o barco ia açoitado pelas ondas e os discípulos aflitos mal conseguiam acreditar no que viam: um homem caminhando por sobre as águas. Só podia ser um fantasma! Não bastava a tempestade?!!

As palavras de Jesus a eles foram “tende bom ânimo, não temais” (v. 17). É preciso manter o ânimo e a confiança.

O desânimo é uma arma branca do inimigo. Parece inofensiva; mas saiba que o desânimo engessa o crente. O desanimado não rompe, não vence.

E nessa circunstância tão terrível, proposta por Jesus para os discípulos, Pedro tem uma das maiores experiências de fé, com o sobrenatural – andou sobre as águas e poderia ter andado mais se não tivesse atentado para o vento e para a água, para a realidade. Os nossos olhos precisam estar fitos em Jesus. A realidade é sempre um desafio pra quem vive por fé, pra quem quer ver milagres.

Existe um mistério entre as nossas tribulações e os propósitos de Deus para as nossas vidas. Uma total afinidade.

O texto de Paulo em II Co 4.16-18 nos traz alguns preciosos entendimentos sobre a travessia pelas aflições:

...o interior, contudo se renova de dia em dia. (v. 16)

As aflições operam RENOVAÇÃO diária em nossas vidas. O interior vai sendo refeito, trabalhado, aprimorado. Não somos os mesmos, somos melhores a cada dia.

É exatamente isso que a Bíblia nos mostra na história de José. O homem que administrou o Egito num período crítico de fome não era mais aquele menino a quem Deus tinha dado sonhos. O menino era somente a matéria-prima que foi trabalhada por Deus por meio das aflições que enfrentou, do desprezo que sofreu, das tentações que venceu, sendo esquecido na prisão... tudo isso foi instrumento de Deus para forjar o grande José do Egito. É por isso que José chamou Efraim ao seu segundo filho dizendo: “Deus me fez cresce na terra da minha aflição” (Gn 41:52).

Quanto maior o propósito de Deus, maior o investimento.

As nossas tribulações nos acrescentam um eterno peso de glória. (v. 17)

Um dia o nosso corpo vai ser glorificado, a nossa alma não mais será suscetível ao pecado. Aqui, no meio das aflições Deus vai nos conduzindo nessa direção a cada dia. Nós vamos crescendo, aprendendo e sendo qualificados pra vida na nova criação. É o sofrimento que nos ensina. A Bíblia diz que o próprio Jesus aprendeu por aquilo que padeceu. Conosco é que não seria diferente.

A cada tribulação Deus vai nos acrescentando um eterno peso de glória e isso está acima de toda comparação.

Portanto, atentamos nas coisas que não se vêem, porque elas são eternas. (v. 18)

Nós não somos deste mundo corrompido; aqui somos peregrinos, estamos de passagem. A realidade aqui não é tudo, é pura ilusão. Tudo aqui vai passar; tudo será renovado. Talvez você não esteja de acordo com os padrões daqui: beleza, dinheiro, sucesso. Não tem problema, nossa estada aqui é curta. Aqui estamos pra perder a vida, pois vamos ganhá-la por toda eternidade na ressurreição.

Que Deus abra os nossos olhos espirituais para que vejamos, não o nosso homem exterior se corromper, mas o nosso caráter ser forjado segundo Cristo.

Já saímos do ponto de partida e ainda não chegamos na linha de chegada, o que temos hoje em dia é muito chão pela frente. Que Deus nos ajude a não nos perdermos no caminho. Que guardemos bem nítidos no coração os sonhos que Deus nos deu quando começamos essa jornada. Talvez você já tenha sido vendido como José uma vez, duas, quem sabe? Talvez já tenha se livrado da mulher de Potifar e de muitas outras tentações, tenha vencido grandes desafios. Quem sabe já está mais perto das vitórias que almeja?

Para qualquer etapa em que possa estar, eu quero compartilhar algumas breves dicas de sobrevivência durante a jornada:

1. Alimente o seu coração com palavras de esperança e atitudes de fé.

"Quero trazer à memória aquilo que me traz esperança" (Lm 3:21)

Deus incentivou Abraão a contar a estrelas do céu e os grão de areia da praia, pois numerosos como eles seria a sua descendência.

2. Lembre-se de que Deus é o Senhor da sua vida e conduz sua história

“Eu bem sei que pensamentos tenho a vosso respeito, pensamentos de paz e não de mal para vos dar o fim que desejais.” (Jr 29:11)

O seu barquinho não está a deriva. O seu leme está nas mãos do Rei dos Mares, aquele que diz pra o mar se aquietar e para o vento se calar. No meio das aflições Jó disse: “Eu sei que o meu redentor vive e em breve se levantará em meu favor” (Jó 19:25).

3. Troque a ansiedade pela fé

A ansiedade te faz presa fácil ao adversário.

“Lançai sobre ele toda vossa ansiedade porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, rugindo como leão, buscando a quem possa tragar. Resisti-lhe firmes na fé.” (I Pe 5:6-8)

Creia nas tantas promessas de Deus feitas a você. Ele não falha. Pode passar o céu e a terra e o que ele disse de modo algum passará sem se cumprir.

4. Livre-se de toda auto-piedade.

“Deus se esqueceu de mim...” Duvide da sensação de solidão.

“Pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de modo que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti.” (Is 49:1)

Em Isaías 43:1 está escrito: “Não temas porque eu te remi, chamei-te pelo nome, tu és meu”.

Troque a insatisfação e murmuração por gratidão e faça como Davi, convidando sua alma a listar o favor de Deus na sua vida e deixe tudo isso encher o seu coração.

5. Guarde o seu coração da mágoa e da amargura

Às vezes Deus não faz o que esperamos. Porque não é o momento ou porque não é da vontade dele e conseqüentemente não é o melhor para nós.

Não deixe que por isso a amargura crie raiz no seu coração contra o Deus da sua salvação.

“Conserve puro o seu coração, dele procedem as saídas da sua vida.” (Pv 4:23)

Não seja altivo. José poderia ter se cansado de toda aquela prova, se indignado contra Deus, mas ele se manteve íntegro, fiel até o desfecho da sua história.

6. Não tenha pressa de compreender tudo

A seu tempo Deus trará revelação a você de tudo que for necessário.

Se você quer discernir o agir de Deus, conhecer a sua vontade, saiba que o princípio de toda revelação baseia-se na ENTREGA. Deus revela os seus segredos aos que o buscam com intimidade.
Tenha paciência: Deus está pintando o quadro; daqui a pouco você vai  começar a entender a imagem. Jesus disse a Pedro: “O que faço tu não sabes agora, mas entenderás depois” (Jo 13:7).

E... se de repente você estiver se sentindo quebrado, em pedaços, não se preocupe pois  

“Deus precisa de coisas quebradas. Os que estão quebrados na riqueza, quebrados na vontade, quebrados na ambições e em seus belos ideais, quebrados na reputação perante o mundo, quebrados nas aflições e muitas vezes quebrados na saúde... a esses o Espírito Santo está tomando e usando pra glória de Deus” (Max Lucado).

Os homens de Deus foram todos experimentados nas dificuldades; você não é o primeiro nem está sozinho. Mas Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações. No meio das lutas o nosso socorro só pode vir do Senhor que fez os céus e a terra. É Ele quem te guarda de dia e de noite, em todo tempo sem ao menos cochilar. Quem não permite que o seu pé venha escorregar e cair. Quem te livra de todo mal, te guarda na tua entrada e saída desde agora e para sempre.

“Sê forte e corajoso, não pasmes, nem te espantes porque o Senhor teu Deus é contigo por onde quer que andares,” (Josué 1:8)

Todas as promessas de Deus são pra nós!!

Fabiana Rodrigues
Igreja de Nova Vida do Guará

 


Proposições para discussão em grupo:

  1. Deus nos conduz às aflições e retarda o seu socorro até que a tribulação opere o seu efeito em nossas vidas.
  2. Temos em Deus graça suficiente que nos capacita a vencer em meio às aflições. Mas por vezes perdemos a fé e não conseguimos mais enxergar Deus conduzindo a nossa história. O que passava pela mente de José enquanto esteve preso injustamente?

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer