comunhão

imagem de Flávio Cardoso

Afinal, o que é a igreja?

Tenho escrito bastante sobre esse tema. Apesar disso, noto que muitos irmãos ainda não o compreendem, o que me deixa um pouco desanimado. Mas, com a graça de Deus, vou fazer mais uma tentativa de esclarecer a questão. Quem sabe se agora, finalmente, a ficha cai?

O assunto é importante demais para ser negligenciado. A chamada de "igreja evangélica" está passando por uma fase de crise sem precedentes. Muitos líderes têm-se prostituído com a política e/ou com as secretárias. Temos assistido a um crescimento numérico inédito, impressionante, com milhões de *adesões* a denominações evangélicas, em boa parte alavancadas por programas de televisão caríssimos, e muitos têm considerado isso como um claro sinal da bênção de Deus. Porém, essas adesões em nada se parecem com o que a Bíblia chama de "conversão". Não há arrependimento, não há auto-negação, não há cruz. Ao contrário, os que aderem só conseguem pensar em bênçãos materiais, em "conquistar a terra", em viver nababescamente como "filhos do Rei", em dar 10 para receber 1000. A grande verdade é que nós vemos hoje, no meio evangélico, grandes semelhanças com o catolicismo medieval, contra o qual nossos ancestrais na fé, os Reformadores Protestantes, se revoltaram.

Mas nem todos os crentes conseguem engolir essas distorções do verdadeiro evangelho. Tanto é que este pastor angustiado mais uma vez escreve sobre o tema. Em nossa congregação local, todos os pastores têm pregado insistentemente contra essas novidades. E creio que pregações semelhantes têm sido feitas por muitos homens e mulheres de Deus que tiveram a oportunidade de conhecer uma igreja diferente, há 30 ou 40 anos atrás.

Sinceramente, eu não acredito que conseguiremos impedir, com nossas pregações, o crescimento desse evangelho distorcido, que se espalha como um câncer e contamina, inclusive, nosso rebanho. Também não penso que conseguiremos fazer voltar os "velhos tempos" que, cá entre nós, também tinha seus próprios defeitos. Acho mais provável que o ciclo da história cristã se repita. Os grupos que pensam diferentemente acerca da doutrina tendem a se afastar um do outro, até que, num certo momento, um olha para o outro e diz: "Não te conheço. Quem és tu, cara-pálida?". Então, ocorre mais uma cisão na Igreja. Talvez aconteça uma nova reforma, tão importante quanto a protestante. Se isso ocorrer, o que os nossos netos chamarão de "igreja", daqui a 50 anos, talvez seja algo bem diferente do que nós hoje entendemos como tal.

A Igreja de Jesus Cristo é como um avião fazendo uma viagem para cruzar o Atlântico em direção à Europa. Se, na decolagem, o piloto ajustar corretamente a bússola, o avião chegará ao destino correto. Mas, cometer um pequeno erro no ajuste na decolagem, de apenas uns poucos graus, o avião pode ir parar na África ou na Groenlândia.

De forma semelhante, entendo que nossos ancestrais na fé cometeram alguns pequenos erros no passado, os quais estão causando grandes desvios no presente. É hora de reconhecermos esses erros e tentarmos corrigir o rumo da Igreja do Senhor.

Um desses pequenos erros está na própria compreensão do que é a IGREJA. Penso que a definição de Igreja precisa ser revista à luz das Sagradas Escrituras. Se algum dos apóstolos aparecesse por aqui, e nos fizesse uma visita em nosso culto dominical, como será que ele reagiria? Penso que ficaria totalmente perplexo com o que hoje chamamos de "Igreja".

Pessoa Jurídica ou Pessoas Físicas?

Em algum momento da história, os cristãos passaram a definir a igreja local de uma maneira parecida com essa: "igreja é uma pessoa jurídica, normalmente organizada como uma associação civil sem fins lucrativos. Com patrimônio próprio, ela possui um CNPJ e é regida por um estatuto. Seus membros se reúnem num local conhecido como 'sede', e as decisões dessa associação são tomadas por um presidente ou um colegiado, dependendo do que prevê o estatuto. A missão dessa associação é conseguir o maior número possível de associados." É possível notar que essa definição é muito semelhante à definição de "empresa".

Nós, que nos convertemos em uma igreja evangélica, já nascemos acostumados com essa definição. Por mais que tentemos nos esquivar dela, ela está profundamente enraizada em nós. Para nós, a igreja é uma pessoa jurídica, a qual não se confunde com as pessoas físicas que a ela se associam. Quando pensamos em "igreja local", é a imagem da sede dessa associação que vem à nossa mente. Esse paradigma está presente em frases do tipo: "ir à igreja", "essa igreja é melhor do que aquela", "pintar a igreja", "administração da igreja", "endereço da igreja", "a igreja é a casa de Deus", "em que igreja você congrega".

À luz do Novo Testamento, percebemos que nenhuma dessas frases-exemplo faria o menor sentido na época dos apóstolos. Imaginemos um diálogo entre um evangélico moderno e um cristão do 1º ou 2º século DC. Ao evangélico, chamaremos de "E" e, ao cristão antigo, de "C":

E: Olá irmão! Em qual igreja você congrega?
C: Ué! Existe mais de uma?

E: Sim, existem várias. A Nova Vida, a Batista, a Presbiteriana, a Metodista, a Assembleia, etc.
C: Hein?! Nunca ouvi nada parecido. Você está falando em língua estranha? Peça a Deus para interpretá-la...

E: kkkkkkk essa foi boa. Mas, diga: onde é a sua igreja?
C: Como assim? A igreja somos nós. Onde quer que estejamos, somos a igreja. A palavra "onde" não faz sentido nesta pergunta. É como se você perguntasse: "onde é o ar?", ou "onde é a multidão?"

E: Claro que faz sentido! A minha igreja é a Nova Vida, lá no Guará. Nós acabamos de pintar a igreja.
C: Pintaram a igreja? Vocês se pintaram uns aos outros?

E: Xi, irmão. Acho que tu tá meio confuso. Não lê a Bíblia, não? Diga: Qual é o nome desta cidade?
C: Roma.

E: Quantas igrejas existem em Roma?
C: Ué? Uma, é claro: a igreja em Roma.

E: Ah, tá bom. Quer dizer que todo mundo se reúne junto?
C: Não. A Igreja em Roma se reúne na casa da Priscila e do Áquila, da Pérside, do Nereu. São muitos os locais de reunião, mas uma só igreja.

Poderíamos prolongar esse diálogo imaginário indefinidamente para demonstrar o óbvio. De acordo com a Bíblia, a igreja não é uma pessoa jurídica, independente dos irmãos. Ela não existe à parte dos irmãos. Ela é um organismo vivo: o Corpo místico de Cristo, formado por bilhões de membros espalhados por toda parte e por todas as épocas. Cada um desses membros é movido pela mesma vida, procedente do Espírito Santo que neles habita. O Espírito faz com que cada membro trabalhe sincronizado com os demais, um abençoando o outro. A igreja local nada mais é do que um pedacinho visível desse Corpo maravilhoso que é a Igreja como um todo.

Olhe para as pessoas do seu Grupo de Vida, sentadas ao seu lado, na casa de alguém. Amado irmão, isso não é nada mais e nada menos do que a igreja de Jesus Cristo. Não tem templo, nem estatuto, nem CNPJ, nem sede. Mas as portas do inferno não prevalecerão contra esse grupo.

Você está passando por algum problema grave? Não precisa sair em busca de algum pastor poderosíssimo para orar por você. É só convocar a igreja, essa mesma para a qual você está olhando agora, para buscar a resposta de Deus junto com você. Não se impressione com o conhecimento (ou a falta dele) de seus irmãos. Quem opera é o Espírito Santo que habita neles.

Se nós conseguirmos nos acostumar à ideia de que a igreja local não é uma pessoa jurídica, mas sim um grupo de pessoas físicas, veremos uma verdadeira revolução. A igreja ressurgirá com o mesmo poder que tinha no início.

Então, jamais se esqueça: igreja NÃO É o lugar onde você vai para ser abençoado. Igreja é o grupo de irmãos que se reúne em qualquer lugar: numa casa, numa praça, numa escola, num templo, etc. Seu objetivo é adorar a Deus e abençoar uns aos outros.

Perguntas para reflexão na igreja

Depois de ler esse texto:

  1. Como você reagiria se um irmão do seu Grupo de Vida dissesse assim: "se esse Grupo de Vida crescer muito, a gente pode abrir uma igreja aqui no nosso bairro. É só alugar uma sala, colocar uma placa e começar a igreja".
  2. Imagine que você se mude para um país mulçumano, onde não haja nenhum outro cristão além de você e seu cônjuge. Pergunto: é correto dizer que não existe igreja naquele país?
  3. Em 1 Coríntios 14:26, Paulo nos diz: "Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação". Essas palavras são aplicáveis às reuniões do Grupo de Vida ou só às reuniões da igreja? No seu GV tem sido assim? Se não, o que fazer a respeito?

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer