graça

imagem de Flávio Cardoso

Irrepreensíveis

O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. (1 Tessalonicenses 5:23)

Com certeza, todos os cristãos estão acostumados a ouvir muitas pregações sobre santificação. Nosso Senhor vive dentro de cada um de nós, de modo que agora há duas vidas dentro de nosso corpo: a nossa velha vida humana, e a nova vida divina, eterna. Nossa caminhada cristã é um constante aprofundamento do processo de fazer com que, cada vez mais, paremos de viver a velha vida humana e passemos a viver a nova vida divina. Conseguimos isso à medida em que obtemos, por meio do Espírito Santo, a revelação de que essas palavras de Paulo já são, hoje mesmo, verdade na nossa vida:

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gálatas 2:20)

Mas, embora a santificação seja um assunto bem comum, o verso que lemos no início nos mostra que esse processo deve alcançar todas as áreas do nosso ser: espírito, alma e corpo. A vigilância deve ser tripla. Isso nos revela que existe uma possibilidade preocupante. Alguém pode ser irrepreensível apenas no espírito, mas não na alma ou no corpo. Já pensaram nisso?

Para simplificar, vamos considerar que a alma e o espírito representam a parte imaterial de nosso ser: nosso intelecto, emoções, vontades e consciência.

Corpo irrepreensível

Muitos cristãos não olham com bons olhos os seus corpos. Consideram-nos como algo ruim, que os leva a pecar. É como se as coisas do corpo fossem ruins e as do espírito fossem boas. Como se fossem obrigados a passar por esta vida ansiosos para, um dia, se livrarem desses "corpos pecaminosos" e passarem o resto da eternidade como almas desencarnadas, vivendo num céu imaterial. Mas não é isso que a Bíblia ensina.

Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que
habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si
mesmos?
(1 Coríntios 6:19)

O seu corpo é um santuário do Espírito Santo, que nele habita. Entendeu? Não é no seu espírito que Ele habita, mas no seu C O R P O. Depois que morrermos, passaremos algum tempo existindo sem nossos corpos. Mas essa não será a nossa condição definitiva, por toda a eternidade. Na vinda do Senhor Jesus Cristo, todos seremos ressuscitados. Aleluia! A morte será vencida no final. Ela não nos separará para sempre dos nossos maravilhosos corpos. Te-los-emos de volta, transformados.

Por isso, Paulo nos ensina que devemos manter nossos corpos irrepreensíveis. Mas como? Muitos dirão sem titubear: evitando a imoralidade sexual: prostituição, adultério, fornicação. De fato, esse tipo de pecado é grave, como Paulo nos ensina:

Fujam da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo. (1 Coríntios 6:18)

Mas esse não é o único tipo de pecado que se comete no corpo. Na verdade, acho que temos pecado contra nossos corpos de diferentes maneiras. Deixe-me falar de alguns pecados que não costumam despertar nossa atenção.

Que dizer da gula? Você ouviu alguma pregação contra a gula, digamos, nos últimos 10 anos? Será que ela deixou de ser pecado? Não na minha Bíblia:

e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti, que os que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus. (Gálatas 5:21)

"Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada domine. (1 Coríntios 6:12)

Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. (1 Coríntios 10:31)

Ora, todos sabemos o quanto a comilança desenfreada faz mal aos nossos corpos. Mas, ainda assim, a nossa sociedade ocidental e consumista tem sido excessivamente tolerante com a gula. Muitos são os cristãos que vão a restaurantes, comem até passar mal, e ainda acham que isso é bonito. Algum de vocês consegue imaginar Jesus fazendo isso? Será que nos empanturrarmos de comida glorifica a Deus?

A gula é, muitas vezes, a manifestação exterior de alguma doença da alma: ansiedade, tristeza, mágoa, medo. Mas quem se relaciona com o Senhor Jesus Cristo deve encontrar nEle a cura para tudo isso.

Acho, também, que uma certa dose de exercícios físicos é importante para mantermos nossos corpos irrepreensíveis. É verdade que Paulo declarou a Timóteo: "O exercício físico é de pouco proveito..." (1 Timóteo 4:8). Porém, não podemos nos esquecer que, naquela época, a alimentação das pessoas era bem menos calórica do que hoje. E também era comum elas andarem muitos kilômetros por dia. Naturalmente, se exercitavam muito mais do que hoje. As viagens de Paulo eram, em boa parte, feitas a pé! Hoje, não queremos nos levantar nem para trocar o canal da televisão...

Então, é necessário praticarmos, com moderação, algum exercício físico. Isso nos proporciona mais saúde e disposição, até mesmo para buscarmos a Deus. Mas é preciso cuidado para não fazermos da prática desportiva nossa religião, como muitos têm feito. A palavra chave é "moderação".

Alma e espírito irrepreensíveis

É no nosso interior que nascem todos os pecados.

Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte. (Tg 1:14-15, NVI)

Seria impossível, num pequeno texto como esse, abordar todas as nuances da complicada batalha que travamos contra o pecado. Então, vou dar apenas alguns conselhos que têm me ajudado bastante.

Vigie os pensamentos

Se nós aprendermos a vigiar os nossos pensamentos, pecaremos menos. Existe um exercício simples para fortalecer nosso controle sobre os pensamentos: a prática da oração contemplativa, como a que descrevemos no nosso texto O bronzeamento da alma.

Nesse tipo de oração, nós nos posicionamos pela fé diante do nosso Deus por alguns minutos, afastando da mente todos os pensamentos e imagens. A prática regular desse exercício nos ensina a observar atentamente tudo o que entra em nossa mente. É como se colocássemos uma sentinela à porta da mente, exigindo, de cada pensamento que passa, que se identifique e diga de onde veio e para onde vai. Com o tempo, vai ficando mais fácil identificar e expulsar o mal.

É difícil explicar porque a oração contemplativa produz esse "efeito colateral benéfico". Na verdade, não devemos praticá-la por causa de nenhum benefício que nos proporcione, mas apenas por causa de nosso amor a Deus. Porém, o fato é que ela nos transforma. Pratique-a, e descubra por si mesmo.

Medite nas Escrituras

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. (Salmos 119:11)

Não precisa ler muito de cada vez, mas precisa ler sempre. Leia um capítulo por dia, lentamente, prestando muita atenção a cada palavra. Memorize versículos e repíta-os, de cor, ao longo do dia.

As palavras de Deus são espírito e vida. Elas fortalecem nosso homem interior e provocam mudança de dentro para fora. Os que se rendem à Bíblia são contínua,  profunda e misteriosamente transformados por ela.

Cuidado com as feridas da alma

Muitos são os cristãos que, apesar de terem uma vida religiosa exemplar, possuem profundas feridas na alma, resultantes de mágoas, invejas e rancores. Esse tipo de pecado é perigoso, porque aqueles que os cometem nem sempre percebem que estão pecando.

Suponhamos que um irmão, por um instante, tenha cobiçado a mulher do próximo. Ora, no instante seguinte ele estará se sentindo um lixo e pedindo perdão a Deus. Se o arrependimento for sincero, ele logo terá o perdão de Deus e seguirá de cabeça erguida.

Agora, suponha que um irmão seja acusado injustamente de ter tentado seduzir a mulher do seu próximo. Essa injustiça pode gerar um ressentimento duradouro no irmão injustiçado que, sem perceber, estará pecando. Sua alma se tornará repreensível. Temos que perdoar os que nos ofendem, mesmo que eles não se arrependam dos seus atos. Do contrário, estaremos em pecado.

Mantenha uma consciência limpa

Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura. (Hebreus 10:22, NVI)

Para quem não conhece o Deus da Bíblia, ter a consciência limpa significa ter certeza de que não fez nada de errado. Mas, segundo lemos em Hebreus, o significado é outro: é reconhecer, a todo momento, que, apesar de sermos pecadores indignos, somos perdoados por causa do sangue de Cristo derramado em nosso favor.

Então, nossa atitude diante do Pai deve ser esta: "Senhor, sei que eu não poderia estar aqui. Sei que não mereço e jamais merecerei. Mas, graças ao sangue de teu amado Filho, aqui estou e não pretendo sair daqui. Como é bom olhar para Ti..."

N U N C A confie em seus méritos para exigir algo de Deus. Se fizer isso, estará em grave pecado.

Brechas fechadas

Se houver mácula em nosso corpo, nossa alma ou nosso espírito, teremos uma brecha em nossa armadura, por onde poderemos ser atingidos pelos dardos inflamados do Inimigo. Feridas da alma, pecados não confessados, falta de disciplina para com o corpo e auto-confiança nas questões espirituais são alguns exemplos de brechas que precisam ser fechadas. Mantenha sua armadura impecável!

 


 

Para reflexão

  1. Por uma lado, as Escrituras nos asseguram que temos autoridade para pisarmos toda a força do inimigo sem que nada nos cause dano algum (Lucas 10:19). Por outro lado, elas nos dizem que precisamos vestir toda a armadura de Deus, para que possamos resistir no
    dia mau e, depois de termos feito tudo, permanecermos inabaláveis (Efésios 6:11-13). Discutam sobre essa aparente contradição.
  2. Você acha que tem dado a devida importância à santificação do seu corpo? Compartilhe suas dificuldades com o Grupo e peça-lhe sugestões sobre como pode melhorar essa área da sua vida cristã.
  3. Quando um cristão comete um grave pecado, isso é sinal de que ele já vinha pecando em pensamentos há muito tempo. Você tem tido dificuldade para se livrar de algum pensamento maligno, pecaminoso? Então, no momento do pastoreio mútuo, procure uma pessoa de confiança no seu Grupo e confesse a ele(a). Lembre-se: "Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos
    outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz."

    (Tiago 5:16)
  4. Você acha que existe uma brecha em sua armadura por onde você tem sido atingido? Peça a seus irmãos que o ajudem em oração para que Deus mostre a brecha. Quando isso acontecer, arrependa-se e feche-a.

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer