imagem de Flávio Cardoso

Firme nas promessas (parte 2)

Em nossa última reflexão, abordamos o tema das promessas de Deus para nós. Fizemos uma diferenciação entre "promessas específicas" e "promessas gerais". As específicas, tratadas na meditação anterior, são aquelas que se referem a algo que Deus diz para certa(s) pessoa(s) em particular. Por exemplo, Deus disse a Abrão que Sarai iria dar à luz um filho. Essa promessa era apenas para Abrão e sua família; não para qualquer um de nós.

Agora, vamos refletir um pouco sobre o que chamamos de "promessas gerais". Em nossa opinião, tais promessas são muito mais frequentes e importantes do que as específicas. Mas, apesar disso, normalmente as pessoas não lhes dão a importância devida.

Primeiramente, deixem-me definir o que entendo por "promessas gerais". Promessas gerais são aquelas direcionadas a todos os que estão em Cristo. Nessa reflexão, vou separá-las em "Promessas propriamente ditas" e "Declarações de Deus a nosso respeito".

Promessas propriamente ditas

Esse tipo de promessa não precisa ser definido. Basta que vejamos alguns exemplos nas Escrituras:

  • "...E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos." (Mateus 28:20);
  • "Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar. E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver." (João 14:2-3);
  • "Porque a vontade de meu Pai é que todo o que olhar para o Filho e nele crer tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia". (João 6:40);
  • "Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará." (Salmos 1:1-3);
  • "Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito." (João 15:7)
  • "O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus." (Filipenses 4:19)
  • "Entre vocês há alguém que está doente? Que ele mande chamar os presbíteros da igreja, para que estes orem sobre ele e o unjam com óleo, em nome do Senhor. E a oração feita com fé curará o doente; o Senhor o levantará. E se houver cometido pecados, ele será perdoado." (Tiago 5:14-15).

Os textos negritados acima se referem a promessas de Deus para todos os seus filhos amados. Precisamos nos apegar a cada uma delas e esperar pacientemente pelo seu cumprimento. E, enquanto esperamos, nos alegramos por termos a certeza de que nenhuma palavra do Senhor cairá por terra. Enquanto esperamos, prosseguimos, serenos, na caminhada da nossa vida, fazendo a vontade de Deus e glorificando-o com nossas ações. Não há motivo para dúvida ou desespero. O cumprimento da promessa até pode tardar, mas não falhará.

Declarações de Deus a nosso respeito

A Bíblia declara muitas coisas a nosso respeito. Por exemplo, ela afirma que aqueles que estão em Cristo fazem parte da nova criação; para tais pessoas, as coisas velhas passaram e tudo se fez novo (2 Coríntios 5:17). Nós costumamos celebrar esse tipo de verdade em verso e prosa.

O problema é que há muitas afirmações bíblicas a nosso respeito que nós não vemos cumpridas em nossas vidas. Por exemplo, você está todo contente lendo a carta de Paulo aos Gálatas e, de repente, se depara com esse verso:

"Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos." (Gálatas 5:24)

Não me lembro de cantarmos nenhum cântico celebrando essa afirmação bíblica. A razão é simples: a maior parte dos crentes reconhece que não vive assim. Ao se depararem com uma declaração dessas, eles ficam confusos. Por um lado, eles consideram que pertencem a Cristo. Mas, por outro lado, não acham que já crucificaram a sua carne, com suas paixões e desejos.

O problema é que não entendemos que esse tipo de afirmação é semelhante a uma promessa de Deus para nós, da qual precisamos tomar posse pela fé. Essas declarações só se tornam verdade, para nós, quando passamos a crer nelas.

Quando nós queremos produzir algo, o que nós fazemos? Ora, nós trabalhamos, não é mesmo? Nos dedicamos com afinco para que esse algo venha a existir: uma obra de arte, um relatório, ou um texto como esse.

Mas Deus não age assim. Quando Ele quer trazer algo a existência, o que Ele faz? A Bíblia nos responde:

"Pela fé entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de modo que o que se vê não foi feito do que é visível." (Hebreus 11:3)

Entendeu? Quando Deus quis que a luz existisse, ele disse: "Haja luz!". Por meio da sua Palavra, Deus traz as coisas à existência.

E mais: há ocasiões em que Deus traz coisas à existência simplesmente afirmando que essas coisas já existem. Nesses casos, cabe a nós crermos na Palavra de Deus, para que elas realmente se manifestem. Se Ele diz que já existe, então já existe para Ele, mesmo que ainda não vejamos. E logo existirá também para nós.

Houve um dia em que Deus olhou para o velho Abrão, que ainda não tinha nenhum filho, e disse: "Eu o constituí pai de muitas nações" (Gênesis 17:5). Paulo, falando exatamente acerca desse episódio, explica que Deus "chama à existência coisas que não existem, como se existissem" (Romanos 4:17). Deus chamou à existência a paternidade de Abrão, simplesmente afirmando que Abrão já era pai. E o apóstolo atribuiu grande importância ao comportamento de Abrão diante das palavras de Deus, aparentemente absurdas:

"Abraão, contra toda esperança, em esperança creu, tornando-se assim pai de muitas nações, como foi dito a seu respeito: 'Assim será a sua descendência'." (Romanos 4:18)

Portanto, amado irmão, se a Bíblia afirma que você crucificou a carne, com suas paixões e cobiças, então isso é verdade. Considere isso como verdade, mesmo que ainda não consiga vivê-la. Declare essa verdade repetidamente, em oração, crendo, várias vezes ao dia. A fé é o catalizador que consegue transformar essas declarações em vida.

"Então Jesus disse ao centurião: "Vá! Como você creu, assim lhe acontecerá! " Na mesma hora o seu servo foi curado." (Mateus 8:13)

Não se acanhe diante das afirmações de Deus a seu respeito. Aproprie-se delas, pela fé, e o próprio Deus, que habita em você, fará você experimentar essas verdades na sua vida. Note que são muitas:

Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo. (João 14:27)

Então, se você está angustiado, o que precisa fazer é se apropriar do que Jesus disse: você tem a paz de Cristo.

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não está no pecado; aquele que nasceu de Deus o protege, e o Maligno não o atinge. (1 João 5:18)

Muitos são os cristãos que têm sido atingidos por Satanás. Talvez o que lhes falte seja apropriarem-se da verdade declarada por Deus: o Maligno não os atinge.

Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade, e o seu fim é a vida eterna. (Romanos 6:22)

Acredite, meu irmão: vencer o pecado é possível. Aliás, é necessário. Mas você não vai conseguir fazer isso por suas próprias forças. Ao contrário, aproprie-se do que Deus já disse a seu respeito. Você foi libertado do pecado e se tornou um escravo da justiça.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. (João 10:27)

Infelizmente, a esmagadora maioria dos cristãos simplesmente não segue a voz de Jesus, porque não consegue escutá-lo. São crentes que nunca crescem; permanecem sempre como bebês espirituais, dependendo da palavra dos pastores ou dos profetas. Precisam urgentemente se apropriar do que Jesus já disse a seu respeito. Creia que você ouve a voz do Senhor e logo começará a ouvi-lo.

 


 

Perguntas para debate:

  1. Diante de todo o texto acima, o que você tem a dizer sobre aqueles cristãos que não conhecem as Sagradas Escrituras?
  2. Na seção "Promessas propriamente ditas", listamos inúmeras promessas gerais. Em boa parte delas, percebemos que Deus impõe certas condições para o cumprimento da promessa. Procure identificar essas condições. O que você acha disso?
  3. Depois de ler esse texto, como você interpreta essa declaração de Paulo: "Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim." (Gálatas 2:20)? Será que algum dia poderemos fazer a mesma afirmação do apóstolo, ou será muita pretensão nossa?

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer